Reino ou sem Reino?

  Muitos acham banal um reino, um mundo, o desejo de tornar real, e justamente esses que não se interessam por isso, são os primeiros a entrarem na rotina monótona e troca constante de parceiros/as, incluindo o fato do excesso da liberdade de posição de escravas e escravos.

  A que ponto você acha essencial ter e viver um mundo e torná-lo real, porque muitos acham banal essa vontade sendo que banal é o relacionamento rotineiro e monótono repleto de liberdade de posição?

Essas teses foram concluídas de depoimentos retirados de membros dos sites: RedLight, MySpace, Orkut, FetLife, Facebook, Hi5, HotMail, Uol, Yahoo, outros. De todas as conclusões, apenas 12% foram opostas a esta e 5% indiferentes. 

Alguns depoimentos sobre este assunto destes sites:

"Acho que viver um mundo assim é forçado, soa como se fosse paga-pau do mundo em que se quer viver..."

"Não precisamos viver algo existente, podemos criar os nossos!"

"Isso para mim, é o mesmo que Gor, indiferentemente se usam trapos de couro ou roupas orientais, para mim é a mesma coisa, banal."

"Não vou negar vivo o BDSM a mais de 25 anos e é sim rotineiro de liberdade de posição, pois escravos e escravas mais mudam de Donos do que de roupas."

"Eu gosto de viver um reino só meu, nele há regras e termos que a serem desobedecidos, também há punições extipuladas, sempre deu certo e não tem nada haver com GOR, uma prova disso é o O.W.K., não é GOR e é um reino! Vivo assim a mais de 25 anos e sempre deu certo e nunca precisei mudar de escravas, pois todas estão comigo até hoje e são no total de sete (07) escravas."


Deixe sua opinião:

Nenhum comentário :

Postar um comentário