Sinto saudades daquele verbo grosso, daquela sutileza, daquela ignorância e eloquência dele. Do jeito encantador e estúpido dele ser. Realista e probo. Sinto saudades de olhá-lo de longe cada traço dele e ficar aérea pasma de desejo. Sinto saudade de suas provocações indiscretas, de fingir que não gosto de que ele não é o meu tipo. Sinto muita saudades dele me deixar molhada pulsante e fingir que estou bem. 

Nenhum comentário :

Postar um comentário