Não sei por que ainda te amo


  Quantas vezes te amei com ódio, deitei-me ao seu lado com injúrias, transei com desgosto, senti medo da sua perda quando desejei por inúmeras vezes minha morte por indecisão. Quantas vezes achei que estava feliz enquanto infartava de de raiva. Confie por educação enquanto no fundo eu realmente desconfiava o que de fato fiz o correto.
  Por todas as vezes que me traiu com seu obtuso silêncio, com a mesma faca lhe traí em mente e por todas as vezes em suas palavras, diversas palavras disseram levianamente que me amavam eu acreditei e ainda acredito.

  Olha o monstro que você me transformou. 

Nenhum comentário :

Postar um comentário