Ele provocou meu desejo...

  "Para uma pessoa que leva o desejo carnal sua religião vi como um pecado ele ter me provocado meu desejo e depois ir embora."
  Achava que depois de sua partida tudo voltaria como se nada tivesse acontecido, como se eu nunca soubesse da existência dele. No início por minha própria iniciativa de querer manter a distância para o bem de uma pessoa cujo eu mau conhecia achei que daria certo. Não, essa pessoa não era ele.
  Sou uma pessoa que não espera reciprocidade de ninguém, se tiver de vir que venha por livre e espontânea vontade, no mais estou com aquele martelo no peito querendo tanto ao menos um oi, que diga algo amigo, que tire esse peso do meu peito, que me desculpe. Sinto tanta falta daquelas provocações amigas, achava qui o que mais doeria era o fato de que não passávamos de simples amigos, mas o que doeu realmente foi quando eu percebi que perdi sua amizade.
  Às vezes ouço de outros amigos notícias dele e eu finjo não me importar, mudo de assunto e só quem realmente me conhece sabe o quão estou infartando por dentro. Notícias ruins e outras maravilhosas, notícias que selam, que firmam minha necessária distância para o bem tanto dele como dos que lhe desejam o bem e eu o mesmo.
  Porém não consigo negar o fato de que mesmo ele estando em uma nova vida meus desejos por ele continuam os mesmos e não me perdoo por isso. 

Nenhum comentário :

Postar um comentário