Artérias de vidro.

  Não é uma questão de orgulho, menos ainda de fragilidade, não tenho culpa do que sou e infelizmente não consigo mudar. 
  Minha carne é fraca, minhas artérias são de vidro, tenho que tomar cuidado quando me mexer, minha mente sempre cai em tentações. Adoro ser atiçada.
  Mas por esta fragilidade, vivo sozinha...


Já estou acostumada, infelizmente.

Nenhum comentário :

Postar um comentário